Em meados do ano de 1994, os fundadores da Wind Hunter, Fábio Lima e Arthur Angelim, velejavam de laser em Praia Seca, e ficavam admirando os windsurfistas que passavam em alta velocidade por seu barco. Logo compraram uma windglider e tentaram aprender a velejar por conta própria, o que foi um verdadeiro desastre.
Após seis meses de tentativas frustradas receberam a indicação de que havia uma escola de windsurf situada às margens da lagoa de Marapendi, dirigida pelos irmãos Fred e Boy Ermel. Assim que aprenderam a "velejar" (orçar, arribar e cambar) na lagoa de Marapendi, compraram uma prancha Geribá e começaram a praticar em Praia Seca e a rasgar velas. Ao consertar as velas nas velerias tradicionais, o resultado foi frustrante, pois o serviço era caro e ficava a desejar.
Sendo um verdadeiro "professor pardal", Arthur criou um simulador de windsurf que facilitava o aprendizado na areia e como precisava de velas pequenas para o simulador, comprou uma máquina de costura e começou a fabricar "velas", se é que se podia chamar aquilo de vela.
Com o tempo o trabalho melhorou tanto que em junho de 2000, Fábio surgiu com a idéia de consertar velas, dada a dificuldade de se encontrar uma empresa que apresentasse um conserto de qualidade.
Tendo mostrado uma de nossas velas às lojas Rio Wind e Hi-Winds, conseguiu a aprovação pelo nível de qualidade apresentada e passou a prestar serviços para estas lojas. Nascia, assim, a Wind Hunter.